home

História

O Escutismo nasceu em Albergaria-a-Velha em setembro de 1983, sendo as primeiras Promessas realizadas em 1984, com a criação do Grupo 118 da Associação de Escoteiros de Portugal. Quase dois anos depois, o Grupo 118 da AEP cessou atividade, dando origem ao aparecimento do Agrupamento 838 do Corpo Nacional de Escutas que realizou as suas primeiras Promessas em 11 de abril de 1986: pretendeu-se que as crianças, adolescentes e jovens beneficiassem de uma formação mais completa, com a integração da dimensão espiritual, alicerçada na religião Católica. Esta transição, um pouco atribulada, fez com que a primeira reunião do 838 tivesse apenas 5 aspirantes a Escuteiros, além dos responsáveis adultos. O Agrupamento iniciou as suas atividades com apenas duas Secções, Lobitos e Exploradores (Alcateia n. 22, São Francisco de Assis e Grupo Explorador n. 28, São Sebastião) e teve como primeiro Chefe de Agrupamento, António da Silva Lucas. Além dele, foram investidos como Dirigentes os Chefes Carlos Cabral, Alberto Matos e o Padre/Assistente Fausto Oliveira. Com o tempo, apareceu a III Secção - Pioneiros (Grupo Pioneiro n. 30, Baden-Powell). Entretanto, dois elementos fizeram a sua Promessa de Caminheiros, não sendo, contudo, possível filiar a IV Secção.

O Agrupamento reuniu, nos primeiros 8 anos, numa arrecadação anexa à garagem da residência Paroquial. Depois disso, e com o aumento de crianças e jovens a ingressar no movimento escutista, foi-lhe cedida uma sala no Centro Paroquial. Dez anos após a sua criação, o Chefe Lucas saiu do Agrupamento e, após eleições, o Chefe Carlos Cabral assumiu funções. O Agrupamento foi somando atividades e o efetivo também foi aumentando. Após sete anos como Chefe de Agrupamento, O Chefe Carlos Cabral foi substituído por um novo Chefe de Agrupamento, o Chefe Alberto Costa que dirigiu o Agrupamento durante 8 anos. Aquando do 25º aniversário, sob a direção do Chefe Alberto Costa, o Agrupamento conseguiu mudar de sede, para as antigas instalações da escola primária do Pinheiro, como era conhecida. Esta importante mudança foi possível graças a um protocolo de colaboração com o Município de Albergaria-a-Velha que foi efetivado a 16 de abril de 2011 e que ainda se mantém em vigor. A Partida do Chefe Carlos Cabral para o Pai Celeste, em junho de 2011, terá sido o momento mais triste desta longa caminhada, mas sabemos que continua presente por tudo o que transmitiu e pela sua dedicação ao escutismo. Sucedeu a Alberto Costa a Chefe Liliana Morais que é a atual Chefe de Agrupamento (desde novembro de 2012).

Atualmente (2017), o Agrupamento conta com um efetivo de 55 elementos, distribuídos da seguinte forma: 8 Lobitos (6-9 anos); 17 Exploradores (10-13 anos); 17 Pioneiros (14-17 anos), 6 Caminheiros (18-22 anos), 2 Candidatos a Dirigente e 5 Dirigentes.

O Agrupamento completou, em 2016, 30 anos de existência, ao serviço da juventude, em comunhão total com os ideais de Baden-Powell, fundador do Escutismo, e consolidados na Lei do Escuta. Ao longo destes anos, realizaram-se centenas de atividades em Portugal e fora do País que nos encheram de muita alegria e imensas amizades.

O Escutismo foi, é e continuará a ser um movimento onde valores essenciais como a verdade, a liberdade, a igualdade, o amor e o respeito pela natureza e pela vida, entre muitos outros, são trabalhados continuamente para formar cidadãos esclarecidos e úteis à sociedade onde vivemos.

A Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha atribuiu a Medalha de Mérito Municipal – Grau Cobre ao Agrupamento de Escuteiros de Albergaria-a-Velha, no dia 18 de fevereiro de 2017, em cerimónia solene no Salão Nobre dos Paços do Município. A sessão integrou as comemorações dos 182 anos da Criação do Concelho e dos 900 anos da Fundação de Albergaria-a-Velha.

 

Links:

Escuteiros - Paroquia de Albergaria